Herbert de Souza (Betinho)

O sociólogo Herbert de Souza (1935-1997), o Betinho, passou a vida lutando contra a morte e em favor da democracia econômica e social, do aprimoramento da institucionalidade democrática e da construção na sociedade de novos valores ético-culturais, capazes de transformar o direito à cidadania e à democracia numa exigência de todos.

Nascido em Bocaiúva, Minas Gerais, herdou da mãe a hemofilia, que o condenou a ter uma vida cheia de privações. Aos 15 anos pegou tuberculose, numa época em que a doença era fatal. Betinho e seus dois irmãos - Henfil, que era cartunista, e Chico Mário, compositor - eram hemofílicos e adquiriram aids em transfusão de sangue. Henfil morreu em 1987, Chico em 88 e Betinho, mais uma vez sobreviveu. "Eu nasci para o desastre, porém com sorte", costumava dizer.

Desde a época de estudante, quando fazia a Faculdade de Ciências Sociais e Políticas, Betinho expunha suas idéias em favor da democracia. Em 1964, com a queda de João Goulart e o início do regime militar, passou a ser procurado pela polícia política. Viveu cinco anos na clandestinidade e 11 no exílio, no Chile (onde foi assessor do presidente Salvador Allende e, com a queda e morte deste, em 1973, refugiou-se na embaixada do Panamá), no Canadá e na Suécia.

Em 1979, retornou publicamente ao Brasil e fundou o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), entidade não-governamental de pesquisas. Em 1990, organizou Brasil, Terra e Democracia, um grande evento que mobilizou milhares de pessoas no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, num movimento pela reforma agrária e pela luta ambiental. No ano seguinte, ganhou o prêmio Global 500, da ONU, por suas campanhas em defesa da Amazônia e da Baía da Guanabara.

Betinho tornou-se conhecido nacionalmente por sua campanha contra a fome. Em 1993 organizou uma entidade governamental, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar, e uma não-governamental, a Ação da Cidadania Contra a Miséria e pela Vida. Nesse mesmo ano, recebeu o Troféu Criança e Paz da Unicef (Fundação das Nações Unidas para a Infância). Em janeiro de 1997 foi nomeado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para a Comunidade Solidária. Em março de 97 lançou o movimento Democracia na Terra. Em maio de 97, três meses antes de morrer e já bastante debilitado pela aids, Betinho se afastou da campanha contra a fome.